Segunda, 15 de Julho de 2024
11°C 28°C
Santa Maria de Itabira, MG
Publicidade

Mulher suspeita de se passar por homem em rede social para atrair vítimas é presa 

Perseguição, violência psicológica e ameaças: De acordo com a Polícia Civil, suspeita fingia se chamar Dyego. Em depoimento, ela afirmou 'odiar todas as mulheres'; até o momento, cinco vítimas foram identificadas.

22/06/2024 às 06h43 Atualizada em 22/06/2024 às 07h08
Por: Redação Fonte: g1
Compartilhe:
De acordo com a Polícia Civil, mulher usava fotos de outra pessoa e fingia se chamar Dyego — Foto: Redes sociais
De acordo com a Polícia Civil, mulher usava fotos de outra pessoa e fingia se chamar Dyego — Foto: Redes sociais

Uma mulher, de 33 anos, foi presa em Belo Horizonte suspeita de se passar por homem para se relacionar com as vítimas. A prisão aconteceu na manhã desta sexta-feira (21), na casa onde ela mora, no bairro Pindorama, na Região Noroeste de Belo Horizonte.

De acordo a Polícia Civil, a suspeita fingia se chamar Dyego nas redes sociais e usava a foto de um homem para atrair mulheres. Até o momento, cinco vítimas foram identificadas.

A investigação começou depois que uma delas foi à delegacia e relatou que conheceu uma pessoa pelo Instagram, namorou com ela virtualmente e, quando decidiu terminar o relacionamento, sofreu ameaças. Esta vítima disse ainda que, como forma de intimidação, recebeu uma foto da porta da casa onde mora.

"Havia também um controle psicológico muito grande, ao ponto da pessoa ser obrigada a permanecer com o celular ligado a noite toda", reforçou a delegada Karine Tassara, responsável pelas investigações.

 

Foto
Mulher criou perfil falso para atrair vítimas — Foto: Redes sociais

 

 

'Odeio todas as mulheres'

No decorrer das apurações, a polícia constatou que "Dyego", na verdade, era uma mulher de 33 anos. Outras quatros vítimas apareceram. Todas com o mesmo perfil: mulheres bonitas, de cabelos longos e bem-sucedidas.

"Perguntamos a ela o motivo de se passar por outra pessoa. Ela respondeu que tinha 'ódio de todas as mulheres'. Comprava vários chips e efetuava várias ligações. Perturbava, ameaçava e torturava psicologicamente essas vítimas, que morriam de medo do personagem Dyego", contou a advogada.

 

Ainda, segundo a polícia, os relacionamentos duravam cerca de três meses. Havia sexo virtual, mas sem chamada de vídeo.

"Temos observado que cada dia aumenta o número de demanda onde mulheres argumentam que mantém relacionamento com homens de forma virtual, sem jamais ter visto essa pessoa. Muita das vezes, o beneficio é financeiro. Neste caso, nós observamos que havia um benefício sexual. Ainda tem a questão do ódio, que as vítimas não sabiam que era odiadas pelo possível parceiro, que, na verdade, era uma parceira", concluiu a delegada Karine Tassara.

 

A suspeita é investigada por perseguição, violência psicológica e ameaças. Caso seja condenada, a pena pode chegar a cinco anos de prisão.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Santa Maria de Itabira, MG
27°
Tempo limpo

Mín. 11° Máx. 28°

27° Sensação
1.65km/h Vento
33% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h26 Nascer do sol
05h30 Pôr do sol
Ter 26° 12°
Qua 28° 12°
Qui 29° 12°
Sex 30° 13°
Sáb 29° 12°
Atualizado às 13h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,44 +0,27%
Euro
R$ 5,93 +0,09%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,07%
Bitcoin
R$ 366,467,19 +10,26%
Ibovespa
129,195,53 pts 0.23%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias