Operação da PF investiga esquema de migração ilegal para os Estados Unidos

0
Polícia Federal investiga organização que facilita entrada ilegal de migrantes nos Estados Unidos — Foto: Divulgação/PF

Operação foi deflagrada a partir de caso em Cachoeiro de Itapemirim, no ES. Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos em cidade de Minas Gerais.

A Polícia Federal está investigando um esquema que facilita a imigração ilegal de pessoas para os Estados Unidos.

As investigações da Operação Tarrafa, deflagrada nesta quarta-feira (28), começaram depois que duas pessoas tentaram tirar passaporte na Delegacia de Polícia Federal de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, usando documentos falsos. Elas foram presas em flagrante.

Depois das prisões, as investigações apontaram para outros suspeitos que moravam na cidade de Pescador, em Minas Gerais. A ação foi nomeada em alusão ao nome da cidade.

Segundo a PF, um cartório da cidade mineira pode ter envolvimento com o caso, fornecendo documentos falsos.

Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Foram apreendidos aparelhos celulares, mídias e documentos, que serão analisados pela PF.

De acordo com a Polícia Federal, os investigados têm como prática o envio ilegal de pessoas da região mineira do Vale do Mucuri para os Estados Unidos.

Eles atuavam no esquema conhecido como “Cai Cai”, no qual utilizam crianças e adolescentes, ou até mesmo adultos se passando por adolescentes.

Essas pessoas eram usadas para simular um parentesco, com documentos falsos, e facilitar a entrada e permanência de maiores de idade nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com a PF, os custos das viagens eram patrocinados por pessoas que depois recebiam quantias vultuosas de dinheiro daqueles que conseguiam entrar no país, como forma de pagamento pelos serviços.

Em muitos casos, os criminosos faziam documentos falsos de paternidade de menores, para permitir que outras pessoas usassem os documentos no esquema.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui