Terça, 20 de Abril de 2021 22:42
31 986773569
Cidades Recomeço

Fotos revelam dimensão do desastre da tempestade em Santa Maria de Itabira

Ensaio fotográfico mostra um pouco do que foi a tragédia causada pela chuva no município da Região Central de Minas em 21 de fevereiro

01/03/2021 09h48 Atualizada há 2 meses
Por: Redação Fonte: Thiago Madureira
(fotos: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
(fotos: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Ainda chorando os mortos, que deixaram ferida aberta e sempre serão lembrados, Santa Maria de Itabira corre para socorrer os vivos. Nessa pequena cidade de 10,8 mil habitantes, da Região Central de Minas Gerais, a vida pode ser entendida de forma metafórica – a luta pelo pulsar do próprio município em ruína, atingido por um rastro de lama e lixo que sufoca grande parte das ruas do lugar –; e literal, a vida dos quase 100 desabrigados, que viram toda uma história construída ao longo de décadas ser levada em minutos pelo Rio Girau ou por desabamentos. Uma água barrenta e muita terra invadiram centenas de casas na madrugada de 21 de fevereiro, após chuva torrencial. Quem acordou de um sonho naquele dia, observava o pesadelo real que destruiu quase tudo: casas, pontes, carros, desejos, lembranças, amores. 

 

Restou a coragem. Ainda abalada, a cidade tenta se reerguer depois da tragédia. Numa hora dessas, a bravura é elemento indispensável para não desistir frente à dor. Riobaldo, em “Grande Sertões: Veredas”, obra-prima de Guimarães Rosa, já dizia que “o correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”.

 

É preciso coragem para recomeçar uma vida sem um teto, sem o que vestir, sem os bens materiais que possuem valor sentimental e reavivam as memórias que a gente não quer esquecer: as fotografias do casamento, os vídeos do batizado, os presentes do último aniversário. Pior é se manter de pé sem a alegria de Bruce Denner Gonçalves, de 5 anos, que se vestia de homem-aranha para fazer a alegria da casa. A família Gonçalves perdeu três sorrisos de uma só vez: Nivaldo Gonçalves, de 70, Magda, 40, e Marilene, 42. Tão bem cuidada pelos irmãos, Wilma Procópio Martins de Alvarenga, de 74 anos, é outra que deixará saudade, assim como José Aparecido Bento, de 39. Em uma cidade pequena, onde todo mundo se conhece pelo nome, a dor é compartilhada.  

 
O sábio Riobaldo diria que “Deus é paciência; o contrário é o diabo”. É paciência para entender que a tristeza um dia vai embora e que a dor cessará no seu tempo. Afinal, “a gente morre é para provar que viveu”, explica o sertanejo de Guimarães Rosa. É com a coragem de Riobaldo que a cidade tenta se reerguer. A onda do rio que levou vidas e histórias é confrontada por uma outra de solidariedade que reanima a cidade. Empresários locais, políticos da região e a população civil se organizaram para tentar limpar a lama que tomou conta do espaço público e oferecer ajuda a quem ficou desamparado. 

 

Mas ainda falta muito. A mancha provocada pelo barro é vista por toda parte. O trabalho de organização da cidade será gradual: limpeza, reconstrução de calçamentos, meio fio, calçadas e pontes. Na outra ponta, para quem perdeu tudo, ainda falta o básico: peças íntimas, blusas, calças, sapatos, chinelos, cobertor, toalha. Há pontos de doações em cidades vizinhas e em Belo Horizonte. Atualmente, os desabrigados encontraram abrigos nas escolas Municipal Trajano Procópio e Estadual Doutor Costa, além da Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Uma cozinha industrial foi instalada na Escola Municipal Trajano Procópio, onde marmitas são montadas e distribuídas aos trabalhadores e atingidos que não têm mais condições de preparar alimentos.
 
Que não falte coragem para Santa Maria de Itabira seguir firme em suas reconstruções literais e metafóricas.  
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sobre o município
Notícias de Santa Maria de Itabira - MG
-
Atualizado às 21h00 - Fonte: Climatempo
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade do ar
% (mm) Chance de chuva
Amanhã (21/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °

Quinta (22/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °